Para te dar amor fraterno – Pe. Léo SCJ.

Pra Te dar amor fraterno – Pe. Léo (10/11/01)

Transcrição da pregação:

Que o sol não se ponha sobre o vosso ressentimento, pois você começa a ressentir e guardar. E vai guardando e aquilo vai empedrando o coração, e um coração empedrado não ama. E quando você não ama uma pessoa, em pouco tempo você não ama duas, três, quatro.
Pela obediência à verdade, vos purificastes para praticar um amor fraterno sem fingimento. Amai-vos pois, uns aos outros de coração e com ardor. Nascestes de novo. Não de uma semente corruptível, mas incorruptível. Mediante a Palavra de Deus viva e permanente (l Pe l,22-23).
Quem é a verdade? “Eu sou a verdade”. Então por obediência a Jesus, vos purificastes. Pra quê? Por que precisamos ser curados? Para praticar um amor fraterno sem fingimento.


Portanto despojai-vos de toda maldade, de toda mentira, da hipocrisia, da inveja e de toda a calúnia (lPd 2-1).
O primeiro passo da cura interior é o arrependimento. Arrepender-se é reconhecer que tem culpa. É abrir o jogo com esse advogado que é Jesus, o Espírito Santo e também Maria. Porque na Ave Maria rezamos que é nossa advogada. É preciso reconhecer que somos fracos, somos falhos e temos limitações. Reconhecer a sua fraqueza é o começo da subida. É o começo dessa nova vida, e por isso Jesus faz o chicote para expulsar os vendilhões do templo. Como foi que aqueles vendilhões começaram a entrar no templo? Será que eles resolveram invadir o templo de uma hora para outra? Não. Eles começaram com coisas boas. Vinham muitas pessoas para rezar, e o povo não tinha água e nem comida. Muitos não tinham como transportar os animais para oferecer o seu culto. Pensando no bem do povo os sacerdotes começaram a providenciar material. A idéia original é ótima, mas com o tempo aquilo foi se transformando em um comércio. E é isso que Jesus expulsou. Assim também vai acontecendo conosco. Coisas simples e corriqueiras, mas precisamos ficar atentos. No capítulo 4,26-27, Paulo fala aos Efésios e fala também a nós: “Mesmo em cólera não pequeis! Que o sol não se ponha sobre o vosso ressentimento”. O que isso significa? E o que São Pedro está nos dizendo no texto acima? “Que não existe no mundo nenhuma pessoa viva que não passe pela experiência de ter um momento de raiva, um momento de ódio ou de irritação. Não adianta a gente querer dar uma de anjo. “Há que maravilha! Eu fiz uma experiência de oração; eu fiz um acampamento e agora nada mais me atinge”.
Um cara disse para o outro: “A minha mulher é um anjo”. O outro falou: “A minha mulher ainda está viva”.
Enquanto eu estiver vivo, eu estou sujeito a pecar. Por quê? Por dois grandes motivos: Quem tem coração ferido vai para onde? Para o inferno. E não tem volta. “Os que praticam certas coisas, não herdarão o reino de Deus”.
O encardido está sempre disposto a te levar para o inferno. São Pedro diz que ele é igual a um leão, está sempre esperando para dar o bote. Então você vai enfrentá-lo? Não! Só ser for besta. Você vai impedir que ele tenha acesso a você.
É como aquele cara que veio da cidade e foi visitar o compadre dele na roça. Os dois andando pelo meio do mato, o compadre com uma mochila nas costas, com botas de borracha cano longo. De repente, quando estão andando no meio do mato, escutam um rugido de um leão.
_Compadre isso é leão?
_É leão mesmo. O barulho é de leão.
Sentou-se em um toco, tirou a bota, abriu a mochila, tirou um par de tênis e calçou.
Você deve estar brincando, ou viu alguma propaganda sobre esse tênis?
_ Não esse tênis é até simples, mas eu gostei e comprei, é um tênis bom para a gente andar ou correr.
_ E você está achando que com esse você vai conseguir correr mais do que o leão?
_Não. Eu nem preciso correr mais do que o leão, eu só quero correr mais do que você. A cura interior é como esse tênis que o Espírito Santo dá. Já que você não pode correr mais do que o leão, não o deixe entrar em seu coração, por isso a cura interior.
Paulo nos fala duas coisas: “Que o sol não se ponha sobre o vosso ressentimento”. Ele sabe que vamos ter ressentimento. É preciso não curtir o ressentimento.
Como é que o ressentimento, mágoa, ódio, raiva, ira, que são tudo a mesma coisa, se instalam em nosso coração? Entra em nosso coração através de pequenas coisas. O ressentimento se instala com muita facilidade em nosso coração, na medida em que convivemos mais com essa pessoa. Precisamos ter o cuidado de não dar entrada ao demônio através do relacionamento dessas pessoas que pode ser: Deus, pode ser marido, mulher. Pode ser o melhor amigo, ou o padre da minha comunidade. São pessoas com as quais eu mais me relaciono, e começam com coisas muito simples e bobas.
A mulher foi ao cabeleireiro. Passou a tarde inteira fazendo um lindo corte que viu na revista. Além do corte, o cabeleireiro sugeriu que deveria fazer um reflexo, levou umas cinco horas. O cabeleireiro colocou uma touca e ficou tirando fio por fio. Já aproveitou para fazer uma máscara de abacate com ovo, fez também a unha completa. Ficou novinha, e o povo que trabalha no salão é simpático.
Nossa como você ficou linda! Seu marido vai amar, vai até ficar com ciúmes.
Na rua encontra algumas comadres:
_ Ai que lindo! Você ficou tão bonita.
Aí já aumentou a expectativa:
_ Imagine a hora que meu marido chegar!
Ficou nervosa até a hora do marido chegar. O marido chega, entra, vai direto para o banheiro. Joga a cirola em cima da cama, o tênis no outro lado.
_ Não tem toalha?
_ Meu Deus, ele não viu! Insensível.
No dia seguinte quando acorda dá uma cotovelada nela.
_ Está na hora!
_ Vai você, eu não tenho horário para trabalhar.
_ Credo! Que bicho que te mordeu?
_ Ninguém. Bicho que não enxerga.
_ Nossa! Deve ter passado mal a noite. Vai fazer um café!
_ Se quer café, que faça.
_ Se quer fazer café faça, se não quer fique dormindo o resto do dia. Por isso que está igual a uma baleia. Eu vou trabalhar pra não ter que agüentar esse mal humor.
Ele foi para o serviço morrendo de raiva da mulher e remoendo o ressentimento.

Biblia sagrada infantil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.